Páginas

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Saudades lá do mato



Eu canto com amor a saudade,
na mistura de coisas, de gente,
o cheiro de mato cá na cidade,
inebria-me de forma crescente. 

Trouxe as alegrias dos sonhos,
às vezes um medo incendiado,
em ouvir os contos medonhos,
mania de menino no povoado.

Eram noites à beira do fogão,
família reunida na harmonia.
Mingau fervia num caldeirão,
som de rádio é viva nostalgia.

A lembrança aqui transborda,
como a letra de samba enredo,
a emoção que sempre acorda,
é revelação de algum segredo.

Isto é o saudosismo, ora dirão,
que não se escode pelos versos,
nem entrelinhas no diapasão,
afinam esta saudade do berço.

Toninho
28/07/2017

*************************
Sempre grato com 
sua visita.
Um bom fim de semana

27 comentários:

  1. Esse mato mineiro da saudades, a família reunida em volta do fogão a lenha desperta sensações de conforto, vc sempre me faz voltar às origens... tão bom te ler...

    Beijos, Toninho...

    ResponderExcluir
  2. Uma mensagem de grande valor. Valeu muito a pena ter passado por aqui. Parabéns por escolher um tema tão bonito. Aquele AbraçO!

    ResponderExcluir
  3. Que lindo, adoro ler sobre saudade de um tempo bom, de um lugar assim, os versos bem colocados tanto quanto bem rimado, sentir é tudo!
    Amei ler por aqui, abraços apertados amigo Toninho!

    ResponderExcluir
  4. Oi Toninho meu querido amigo
    Há que se lembrar sempre com ternura e saudade do torrão natal nos rincões de Minas Gerais que abrigou o menino, fez dele um grande poeta que nos oferece em versos plenos as suas saudosas emoções. Viajei nos teus versos meu amigo
    Beijinhos com ternura

    ResponderExcluir
  5. Olá, amigo Toninho!
    Não faz muito tempo estive, num domingo, à beira de um fogão de lenha... foram horas maravilhosas... onde Deus pode me tocar profundamente na roça e lá, contemplando a natureza exuberante e a alegria de toda aquela gente da família, onde me sinto segura, pude refazer minhas energias e voltei ao lar renovada e cheia de paz.
    Afinal, gente simples é outra coisa... a gente não precisa estar preocupada em agradar ninguém e cada um pode ser o que se é... Bom demais!
    Foi uma tarde muito alegre até o anoitecer...
    Fora os bolinhos de chuva feitos na horinha e no fogão à lenha... Hum! Café coado no coador... Não tem preço... o riso se torna frouxo e fácil, alegre, descontraído...
    Lindo poema que retrata exatamente o que sinto cada vez que por lá vou! Raízes interioranas é beleza pura!
    Seja muito feliz e abençoado!
    Bjm de paz e bem

    ResponderExcluir
  6. Um saudosismo justificado...Momentos lindos da infância no campo vividos e quem não teve as noites dos contos assustadores?rs Adorei a poesia! abração,lindo fds! chica

    ResponderExcluir
  7. Também viajei em teus versos e, nessa viagem, fui direto para o passado, para as lembranças da minha infância na casa dos meus avós, fogão à lenha, a coalhada bem fresquinha, o queijo de coalho e o mais importante o aconchego da família reunida, das prosas, e do amor partilhado. Ah terna saudade!!! Beijos amigo e um fim de semana maravilhoso!

    ResponderExcluir
  8. Ah! que belas recordações, vijar na imaginação, estar ao pé do fogão à lenha sentir o cheiro da comida dos avós, voei Toninho

    ResponderExcluir
  9. Versos de amor à terrinha e aos bons momentos passados... Recordações saudáveis fortalecem nossas raízes.
    Poema edificante, Toninho.
    Abçs

    ResponderExcluir
  10. Este é o poeta mineiro que conheço, já há algum tempo! Um excelente poema, um canto de saudade da vida do interior, no sufoco da cidade grande. A saudade, essa forte veia para os poetas. Parabéns, meu amigo.
    Um grande abraço.
    Pedro

    ResponderExcluir
  11. Muito lindo,Toninho.
    Esse seu poetar bucólico,recordando coisas tão boas!É a vida no interior maravilhosa mesmo e não é saudosismo. Maravilhoso poder guardar bons momentos que ficam em nós. Também faço isso e me anima,alegra a vida.

    Beijos sabor carinho e uma sexta_feira de paz e alegrias

    Obrigada pelas visitas

    Donetzka

    ResponderExcluir
  12. Eu queria entender e preciso que me responda,amigo Toninho: Porque tira meu blog da sua lista de blogs favoritos?? De repente volta a estar aqui. Você não é obrigado a favoritar meu blog. Mas preciso entender,pois o seu está na minha lista de blogs a visitar.

    Responda no meu blog,ok?

    Donetzka

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu recebo suas atualizações via email amiga. Não tirei nada de favoritos.
      Bjs

      Excluir
  13. Que belo momento caro amigo Toninho ,voltar ás origens onde as sensações nos invadem do princípio ao fim ,sempre maravilhoso e delicado como escreve ,um grande abraço ,muitas felicidades

    ResponderExcluir
  14. Como não ter saudade dessa simplicidade onde brotava amor puro e pleno!
    Vivi muito isso. Então, sei que é exatamente essa, a razão da nossa sensibilidade hoje, que foi cultivada desde nossa infância.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  15. Eu queria entender e preciso que me responda,amigo Toninho: Porque tira meu blog da sua lista de blogs favoritos?? De repente volta a estar aqui. Você não é obrigado a favoritar meu blog. Mas preciso entender,pois o seu está na minha lista de blogs a visitar.E tenho o link me como todos! Responda,ok?

    Responda no meu blog,ok?

    Donetzka

    ResponderExcluir
  16. Não sei o motivo de tirar meu blog da sua lista,pois vc não respondeu.

    Sendo assim,vou tirar seu blog do meu,ok? Da minha lista de bogs a visitar que é o mesmo que seus favoritos.

    ResponderExcluir
  17. Passando para deixar um abraço como
    sempre ver e gostar do seu post,desejar
    um final de semana cheio de muita paz
    Boas amizades sempre é um privilegio ter
    Bjuss com meu carinho de sempre

    └──●► *Rita!!

    ResponderExcluir
  18. Querido Toninho
    Que belo poema que tão bem define o que a saudade nos faz!
    é impossível não revisitar o passado e querer permanecer por lá.
    Feliz dia.
    Afagos na sua alma e muitos beijinhos
    Beatriz

    ResponderExcluir
  19. Um poema maravilhoso... com aquela nostalgia gostosa, da sua terra de origem... e da sua magia especial... que o fez recuar aos tempos de criança...
    Um sublime momento poético, Toninho!
    Adorei cada palavra!
    Um grande abraço! Feliz semana!
    Ana

    ResponderExcluir
  20. Tocante, estimado amigo, tocante.
    Para mim, são viveres simples que não conheci e, talvez por isso, a sua saudade me comove com mais intensidade.
    Foi por si, que tive o prazer especial de conhecer Itabira, as suas raízes e as de Drummond...
    É muito saudável sentir as carinhosas lembranças de menino: cores, cheiros e sentires do imenso e caloroso afeto da família e amigos.
    Fico sensibilizada sempre que verbaliza em ternas estrofes unidas em poemas muito belos e humanos o amor por seu berço natal.
    Também agradeço a apresentação de Marcus Viana, pesquisei e fiquei conhecendo a sua dimensão musical... achei este conjunto e tema muito interessantes.
    Grata por mais um 'post' emotivo e muito agradável.
    Abraço, querido poeta.
    Beijos de sincera Amizade.
    ~~~~~~~~~~~~

    ResponderExcluir
  21. Lindo poema de recordações, sempre muito bom podermos trazer lembranças do coração.
    Espero que tenho tido bons afetos nos dia em que direcionamos nossas homenageamos os pais.
    Bjs. Boa semana

    ResponderExcluir
  22. Bom dia meu querido amigo, sinto falta do mato da minha infância....aqui tenho um mato mas é bem diferente.
    Vou demorar um pouquinho estarei voando para a Bahia terra que me faz bem, volto rapidão, férias!
    Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  23. é querido Toninho, tal como você eu sou muito saudosista adorei seu poema, beijinhos e um forte abraço

    ResponderExcluir
  24. Caro amigo Toninho
    Ausente do seu blog e comentários porque estou na luta contra uma síndrome de pânico, misturada com depressão que me deixou sem chão.
    Espero em Deus melhorar e retornarei, poeta que sempre nos encanta.
    Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  25. Seus versos me remeteram à minha infância, tenho saudade da minha casinha de campo, rodeada de árvores e passarinhos seresteiros. sou saudade tocou meu coração!

    Tenha um abençoado dia!
    Bjs no core!

    ResponderExcluir
  26. Saudades da infância, da adolescência, das nossas raízes! Não tem coisa mais importante do que essas imagens que ficam para sempre, que nos moldaram, que nos enriqueceram. Eta saudades boas!
    Aplausos, querido amigo! Você é mestre em externar sentimentos.
    Beijo.

    ResponderExcluir




Obrigado pela sua visita.
Alguma dificuldade ou desconforto neste blog como tamanho de fonte, dificuldade de comentar, links maliciosos etc favor comunicar para corrigir.
Caso não tenha um blog poderá comentar como anonimo e no fim colocar seu nome ou não para que possa agradecer.
Fique a vontade!
Meu abraço de paz e luz.